quinta-feira, 5 de junho de 2008

Radio na Web

video

Vídeo mostra “conexões internacionais” de crackers brasileiros

Para obter senhas bancárias em um golpe online, criminosos usam servidores nos Estados Unidos, China, Rússia e Inglaterra, entre outros países

Você tem idéia de como funciona um simples e-mail de phishing? Não? Pois é muito mais complexo do que você imagina. Para obter senhas e dificultar a identificação de seus rastros, os criminosos da internet utilizam em um único ataque servidores espalhados por várias partes do mundo.

Um bom exemplo disso foi disponibilizado em vídeo pela empresa de segurança Sophos. Nele, a companhia mostra de forma simples e didática (com ajuda do Google Earth) como um criminoso, com a ajuda de um e-mail que prometia imagens de Britney Spears nua, utiliza servidores em países como Estados Unidos, China, Rússia e Inglaterra, entre outros, para receber por e-mail os códigos confidenciais no Rio de Janeiro.

Para conferir as etapas dessa viagem às “conexões internacionais” dos crackers brasileiros, clique no vídeo abaixo.
video

Novo vírus criptografa arquivos para cobrança de resgate

Segundo a empresa de segurança Kaspersky, o criminoso utiliza chaves de 1.024 bits, o que impede a recuperação dos arquivos sem a senha.

"Seus arquivos estão criptografados e você terá que comprar nosso decodificador para recuperá-lo.” Se essa mensagem (em inglês) for exibida em seu computador, é sinal de uma grande dor de cabeça. A empresa de segurança Kaspersky acaba de divulgar um alerta sobre uma nova praga virtual que infecta computadores e codifica com criptografia extremamente sofisticada (1.024 bits) os arquivos das máquinas afetadas.

A ameaça, batizada de Gpcode.ak, bloqueia o acesso arquivos com extensões como .DOC, .TXT, .PDF, .JPG e .XLS, entre outros. Segundo a Kaspersky, apesar de já ter desenvolvido e disponibilizado uma vacina para suas soluções antivírus (o que evita que o computador seja infectado), a empresa não conseguiu quebrar a criptografia utilizada pela praga virtual. Ou seja, não foi capaz de recuperar o acesso aos arquivos atingidos.

O Gpcode.ak é uma variante aprimorada de um vírus criado há dois e que utilizava criptografia de 660 bits. Na época a Kaspersky foi capaz de conseguir a chave privada utilizada pela ameaça após uma análise detalhada da praga virtual e de seu processo de disseminação. Mas isso aconteceu porque o criador do vírus cometeu alguns erros ao implementar o algoritmo de criptografia. Desta vez, porém, o desenvolvedor fez um “melhor” trabalho. Para completar o cenário, a Kaspersky afirma que, até o momento, não conseguiu identificar exatamente como a ameaça se espalha.

Assim que criptografa os arquivos, o programa nocivo exibe a mensagem avisando que eles não estão mais acessíveis, que é necessário comprar o chamado decryptor e que é preciso entrar em contato por e-mail.

A Kaspersky está avaliando profundamente a ameaça em busca de uma solução. A empresa pede que internautas que forem vítimas da praga entrem em contato pelo e-mail stopgpcode@kasperskky.com informando tudo o que fez no computador nos momentos anteriores à infecção (sites que visitou, programas executados). A companhia se compromete a tentar ajudar a vítima a recuperar os dados.

Novo iPhone: o que esperam do aparelho

Na próxima segunda-feira (09/06), Steve Jobs, CEO da Apple, se encontra com desenvolvedores e a mídia no Worldwide Developers Conference, evento voltado para programadores, que acontece em São Francisco (EUA).

Neste ano, a empresa especialista em fazer mistérios parece fugir do campo do desenvolvimento de software e se concentrar no filho mais promissor: o iPhone.

A expectativa é o anúncio da nova versão do aparelho, que parece chegar sem expressivas mudanças. E, enquanto o evento não começa, na Internet não faltam especulações sobre quais serão as alterações do novo iPhone —a começar pela expectativa de que o anúncio será feito na segunda.

Entre as principais evidências que confirmam o anúncio está na falta dos aparelhos em lojas americanas e britânicas desde a semana passada —forte indício de que vendedores querem renovar seus estoques com novidade.

Veja, a seguir, uma lista dos principais rumores sobre o possível novo iPhone que correm pela Web:

1. O iPhone terá suporte para a tecnologia de terceira geração (3G) - De todos os boatos sobre o novo aparelho, este é o que tem mais chances de se concretizar, já que uma pesquisa sinalizou que 11% dos potenciais compradores do aparelho aguardam uma versão 3G. O modelo atual traz conexão à Internet via Wi-Fi ou EDGE. Quem costuma acessar a Web pelo celular sabe a dificuldade de se fazer downloads usando a rede de dados da operadora. Se, apenas oferecendo Wi-Fi e EDGE, o iPhone já é responsável por um terço de todo o tráfego da Web móvel no Brasil - mesmo sem ser vendido aqui - imagine quando a banda larga chegar ao aparelho.

2. O aparelho trará chip GPS integrado - O novo iPhone também entraria na onda dos celulares com localizador. O blog de tecnologia internacional Gizmodo fez uma lista divertida apontando que a nova função não seria bem-vinda ao aparelho. Entre os motivos estão a bateria, que não agüentaria por muito tempo, o tamanho do chip, que aumentaria o volume do aparelho e a dificuldade em se criar uma tecnologia de localização tão boa quanto os GPS que já existem no mercado.

3. Mudanças estéticas - Elegância não é o forte do iPhone. O modelo atual tem 115 mm de altura e pesa 135 gramas. Porém, a novidade que circula na Internet é que o novo iPhone será aproximadamente 20% mais fino —chegando a 9,3 mm. Além disso, os botões serão cromados e a parte posterior do aparelho será na cor preta. Tamanho (3,5 polegadas) e resolução (480x320 pixels) da tela continuarão as mesmas.

4. Bateria - Embora ainda acoplada ao aparelho, os boatos mostram que a Apple trabalha para otimizar a vida útil da bateria. Hoje, segundo o site da empresa, a bateria agüenta 8 horas de conversação, 250 horas em stand-by e 24 horas de áudio. Para se ter uma idéia, a bateria do N95, da Nokia, agüenta 6 horas e 30 minutos de conversação e 220 horas em stand-by.

5. Capacidade - O blogueiro Leander Kahney, do Cult of Mac (Wired), cita que o novo aparelho terá a capacidade dobrada, chegando a 16 GB e 32 GB. As informações, segundo ele, foram dadas por um programador de software ligado à empresa.

Quais dessas mudanças você acha que realmente farão parte da versão 2.0 do iPhone? E, ainda: será esse o grande anúncio de Jobs ou os macmaníacos encontrarão novidades que vão além do update no celular?

Smartphone Willcom 03, da Sharp, tem 3G, Wi-Fi, touch screen, TV...

Smartphone Willcom 03, da Sharp, tem 3G, Wi-Fi, touch screen, TV...

O que você quer num smartphone? Teclado QWERTY, touch screen, 3G, Wi-Fi, TV? O Willcom 03, da Sharp, tem tudo isso. E ainda fala.

O telefone tudo em um manda bem em praticamente todas as frentes. Ele é baseado no sistema Windows Mobile 6.1 e conta com um processador PXA 270 de 520 MHz, 128 MB de memória RAM e 256 MB de ROM. As opções de conectividade também não deixam nada a desejar. Vai de infravermelho a HSDPA, passando por Wi-Fi e Bluetooth.

A edição de arquivos do Office pode ser feita via touch screen, usando a canetinha stylus e o tecladinho virtual, ou o teclado QWERTY deslizante. Neste caso, além de trabalhar com o smartphone na posição horizontal, é possível teclar com as duas mãos.

A tela, além de grande (3 polegadas) e sensível ao toque, possui uma resolução acima da média, com 800 por 480 pixels. Ou seja, não falta espaço para ver a programação de TV digital, visualizar vídeos e páginas da web. Para quem não engole o Internet Explorer, a boa notícia é que o Willcom 03 vem com a versão mobile do navegador Opera.

Não é só a tela do Willcom 03 que é sensível ao toque. Abaixo dela, em vez de botões físicos, o aparelho possui um painel sensível ao toque com botões virtuais que mudam de função de acordo com o modo de utilização do smartphone.

Acionando o botão Menu, o Willcom 03 carrega uma interface "finger friendly", isto é, com menus e botões grandes, para que seja possível comandar as funções do aparelho tocando a tela com os dedos. Na hora de telefonar, quem aparece no painel sensível ao toque é o tradicional teclado numérico para discagem.

O exagero de recursos não transformou o Willcom 03 num smartphone grandalhão e desengonçado, apesar de, obviamente, estar longe da leveza dos celulares ultrafinos. Ele mede 5 por 11,6 por 1,8 centímetro e pesa 135 gramas. O único item em que o Willcom 03 é modesto é na câmera fotográfica de 2 MP.

Segundo a Sharp, o modelo deve chegar ao Japão em outubro, por 35.520 ienes, o equivalente a 553 reais.

Aprenda a ter uma boa reputação na web

Nos dias atuais a busca por um emprego não se limita apenas ao currículo de uma pessoa. Sistemas de busca e redes sociais ampliaram as formas como um empregado pode saber mais sobre seu futuro empregado. É exatamente por isto que é muito importante ter um histórico limpo e rico na web. O site Marketing Pilgrim fez uma lista de dicas para você ter uma boa reputação na Internet.

1) Tenha seu próprio site
Mesmo que seja de provedores que dêem espaço gratuito, tenha um site próprio. O melhor mesmo é comprar um domínio com seu nome ou o da sua empresa. É uma ótima forma de ter seu nome lista entre os 10 primeiros em sites de busca.

2) Faça um blog
Se você cuidar bem do seu blog, ele vai ser uma ótima forma de analisar sua reputação em termos de gerenciamento. Mas o legal de ter um blog é que ele normalmente aparece bem em sites de busca mesmo se esquecido. Existem vários sites online que oferecem gratuitamente espaço para blogs. Não esqueça de mencionar seu nome, para que seja encontrado em sites de busca.

3) Tenha subdomínios
Se você se esforçou bastante para manter seu site, existem boas chances de criar subdomínios. Crie o fotos.meusite.com.br ou o video.meusite.com.br. Existem dezenas de razões para ter subdomínios e eles são ótimos para a organização do site.

4) Faça perfis em redes sociais
Perfis em redes sociais podem ser uma boa forma de um cliente ou empregador saber quem você. Use seu nome real, apelidos atrapalharão na sua localização. Várias redes listam o seu perfil em sites de busca.

5) Crie uma rede social
Se perfis em redes sociais já dão uma boa reputação, imagina ter uma rede inteira. Existem sites, como o Ning.com, onde é possível criar uma rede social própria e customizada por um baixo custo.

6) Crie um perfil profissional
Sites com perfis profissionais, como o LinkedIn, são muito importantes. Nestes tipos de site você detalha sua experiência profissional e mostra seus contatos e sua relação com eles.

7) Compartilhe suas fotos
Utilize fotologs que sejam listados em sites de busca. Publique suas fotos, imagens de sua empresa, logotipos, exemplos de trabalho, mas sempre citando seu nome. Faça comentários explicativos e espere os frutos.

8) Preserve sua identidade
Existem sites que linkam o seu nome ao que é seu, como o Naymz.com. Ele impede que você seja confundido com outras pessoas o mesmo nome, além de agrupar perfis em vários sites.

9) Crie seu próprio Wiki
Se você está enfrentando problemas de reputação na rede, pode ser uma boa idéia criar um sistema de Wiki. Fazer um perfil na Wikipedia e se descrever não é uma boa porque eles são rígidos, e se você tentar encobrir coisas erradas que fez, vai acabar aparecendo no perfil. O site wetpaint.com ajuda na criação de Wikis.

Com estas dicas é possível fazer uma boa reputação em sites de busca e, quem sabe, conseguir um bom emprego ou contrato com algum cliente.